Aditivos Microbianos Comerciais na Silagem de Cana-de-Açúcar

Aditivos Microbianos Comerciais na Silagem de Cana-de-Açúcar

Discente: 
Wilma Cristina Cavalcante dos Santos
Orientador: 
Willian Gonçalves do Nascimento

A prática da ensilagem da cana-de-açúcar sem aditivos tem ocasionado redução acentuada no seu valor nutritivo, em decorrência da rápida fermentação dos carboidratos solúveis pelas leveduras. A utilização de inoculantes comerciais contendo bactérias homo e heteroláticas no processo de ensilagem torna-se uma importante alternativa, porém, a eficiência de tais inoculantes é questionável. Assim, objetivou-se avaliar o efeito da utilização de dois inoculantes comerciais durante o processo fermentativo de três variedades de cana-de-açúcar sobre o valor nutritivo, as perdas fermentativas e a estabilidade aeróbia das silagens. Utilizou-se o delineamento experimental inteiramente casualizado em esquema fatorial 3x3 (três variedades e três tratamentos) com cinco repetições. Os tratamentos foram: Sem inoculante, Inoculante A (Lalsil® cana, L. buchneri, Cepa NCIMB 40788, 2,5 x 1010 UFC/g) e Inoculante B (Silobac® 5, L. plantarum, Cepas CH 6072 e L286, 1x105 UFC/g). Em todos os tratamentos, as silagens apresentaram aumento nas concentrações de FDN e FDA, e redução nos teores de MS em relação ao material antes da ensilagem. O tratamento com o inoculante B proporcionou as maiores perdas por gases, perda total de MS e frações do nitrogênio amoniacal, bem como os menores teores dos NDT e DIVMS, especialmente para variedade RB92579. O Inoculante A melhorou a estabilidade aeróbia das silagens. A elevada concentração de açúcares (grau Brix) apresentada pela variedade RB92579 pareceu favorecer a atividade das leveduras e, consequentemente, as perdas fermentativas.