Avaliação Quantitativa e Qualitativa do Resíduo de Variedades de Milho Cultivados para a Produção de Minimilho

Avaliação Quantitativa e Qualitativa do Resíduo de Variedades de Milho Cultivados para a Produção de Minimilho

Discente: 
Hélio Gomes Arcanjo Junior
Orientador: 
Willian Gonçalves do Nascimento

O milho [Zea mays (L.) Poaceae] é uma das culturas mais produzidas no mundo, possuindo alto valor nutritivo e diversas aplicações, servindo tanto na alimentação humana quanto para a alimentação animal. A produção do minimilho aumenta a rentabilidade e a velocidade do retorno do investimento ao produtor. Entretanto o cultivo do minimilho gera resíduos, tais como a planta de milho composta por palha (caule e folha) onde muitas vezes esta é desprezada servindo de adubo verde para a próxima cultura. No entanto a palha do minimilho pode servir de alimento para os ruminantes, portanto, faz-se necessário à avaliação das plantas remanescentes a colheita do minimilho. Objetivou-se neste trabalho avaliar as características químicas bromatológica e a digestibilidade in vitro de plantas integras de milho e de plantas remanescentes a colheita de minimilho de cinco variedades de milho. O delineamento foi em blocos casualizados em esquema fatorial 5x2 em parcelas sub divididas sendo, cinco cultivares na parcela (AG 1051, Alagoano, Branquinha, São Luíz e Viçosence) e com e sem colheita do minimilho na sub parcela com três blocos Dentre as variedades selecionadas as que obtiveram maiores valores para PB na sub parcela sem espiga foram as cultivares Alagoano e Viçosence. Para a variável NDT na sub parcela sem espiga as variedades que obtiveram valores superiores (P<0,05) foram o AG1051, a Branquinha e o Viçosence obtendo estes, maior potencial forrageiro diante as outras cultivares. Nas variáveis de FDN e DIVFDN na sub parcela sem espiga a variedade que obteve maiores valores (P>0,05) foi o Alagoano.