Composição e Valor Nutricional de Feno e de Silagem de Estilosantes cv. Campo Grande

Composição e Valor Nutricional de Feno e de Silagem de Estilosantes cv. Campo Grande

Discente: 
Mábio Silvan José da Silva
Orientador: 
Willian Gonçalves do Nascimento

Objetivou-se avaliar a produtividade do estilosantes cv. Campo Grande (ECG) e o potencial de utilização na forma conservada, através das principais perdas quantitativas e qualitativas decorrentes dos processos de produção e armazenamento. Foram conduzidos dois experimentos, sendo um com feno e outro com silagem confeccionada a vácuo. O experimento com feno consistiu, em primeira ordem, na avaliação da produção por área, bem como a razão folha: caule apresentada. Após, realizou-se a confecção do feno, avaliando-se três teores de matéria seca (MS) no momento do enfardamento: 600 g/kg; 700 g/kg e 800 g/kg na matéria natural (MN). Os dados obtidos foram analisados por meio do delineamento inteiramente casualizado. Observou-se que o ECG apresenta bom potencial produtivo (3,36 t/ha de MN), associado a uma razão folha: caule de 0,6, caracterizada abaixo dos valores normalmente encontrados entre leguminosas da mesma espécie. Os fenos apresentaram boa qualidade, mesmo com uma elevação na temperatura, no interior dos fardos, superior a temperatura ambiente em 10ºC (para o feno com 600 g de MS/kg de MN). Foram encontrados valores satisfatórios para composição química, principalmente em relação ao conteúdo de proteína bruta (PB), fibra em detergente neutro (FDN), fibra em detergente ácido (FDA), nitrogênio insolúvel em detergente neutro (NIDN), nitrogênio insolúvel em detergente ácido (NIDA), lignina e as frações A+B1, B2 e C, constituintes dos carboidratos totais (CHT), os quais conferiram maiores teores de nutrientes digestíveis totais (NDT) e digestibilidade "in vitro" da matéria seca (DIVMS) do feno de ECG, que a planta. O feno confeccionado com MS de 700 g/kg MN foi superior aos demais (P<0,05), com valores superiores de NDT e DIVMS, 528,52 g/kg de MS e 646,34 g/kg de MS, respectivamente. No experimento com silagem, avaliou-se a composição e o valor nutricional da silagem de ECG, submetido a 4 (quatro) tratamentos: controle; inoculante biológico; inoculante biológico mais uréia e uréia, com 4 (quatro) tempos de abertura cada: 14; 28; 42 e 56 dias, em um delineamento inteiramente casualizado em esquema fatorial 4 x 4. No experimento com silagem de estilosantes, verificou-se melhores característica de pH, temperatura e composição nas silagens não tratadas com aditivos (P<0,05), bem como, melhores valores de NDT e DIVMS, com valores médios de 539,17 e 665,39 g/kg de MS, respectivamente. O ECG apresenta bom potencial para ser utilizado na forma de feno ou silagem.