Diferentes períodos de armazenamento da palma orelha de elefante mexicana (Opuntia stricta Haw)

Diferentes períodos de armazenamento da palma orelha de elefante mexicana (Opuntia stricta Haw)

Discente: 
Evannielly Thuanny dos Santos Silva
Orientador: 
Airon Aparecido Silva de Melo

A pecuária leiteira no Nordeste é uma das alternativas e fonte econômica, sobretudo, social, de manter o homem no campo. Desta forma, os produtores têm buscado a utilização de alimentos alternativos adaptados à região. A palma forrageira é uma importante fonte alimentar para as regiões semiáridas, adaptada as condições locais, possui características anatômicas e morfológicas para bom desenvolvimento nessa região, com raízes superficiais e abertura dos estômatos no período noturno, proporcionando uma menor perda de água. É uma excelente fonte de água para os animais, principalmente durante o período seco, rica em energia, excelente fonte de carboidratos não fibrosos e nutrientes digestíveis totais. Assim, o manejo da palma Orelha de Elefante Mexicana (OEM) na forma de armazenamento para utilização em longos períodos não alteraria seu valor nutritivo e que poderia reduzir os custos de produção, aumentando a eficiência de mão de obra do sistema de produção. Objetivou-se avaliar diferentes períodos de armazenamento da palma Orelha de Elefante Mexicana. Foram utilizadas cinco novilhas da raça Girolando (5/8 HZ), com peso corporal inicial médio de 284 kg, distribuídas em um quadrado latino 5 x 5. Os tratamentos consistiram de quatro períodos de armazenamento da palma OEM (0, 7, 14 e 21 dias) e um tratamento controle constituído por palma Miúda. As palmas não diferiram na composição química para matéria orgânica, proteína bruta, fibra em detergente neutro corrigida para cinzas e proteína, carboidratos não fibrosos, carboidratos totais, extrato etéreo e matéria mineral. Diferindo apenas a matéria seca e fibra em detergente neutro indigestível da palma OEM comparada a Miúda. Como também, não houve diferença para os períodos de armazenamento da OEM, assim, há a possibilidade de economia na sua colheita, fazendo a concentração do corte e transporte em apenas um dia, e armazená-la por mais tempo. Não houve diferença entre as palmas, como não houve efeito dos períodos de armazenamento no consumo dos nutrientes, digestibilidade aparente e comportamento ingestivo. A dieta possibilitou uma variação de peso de 1,35 kg com pouca participação de concentrado (20%), provavelmente devido a grande proporção de palma nas dietas (50%). A palma Orelha de Elefante Mexicana pode ser armazenada por até 21 dias, mantendo constante a composição química, consumo de nutrientes, digestibilidade e comportamento ingestivo de novilhas leiteiras.