Palma (Opuntia Ficus Indica Mill) cv. Gigante em Suplementos Para Fêmeas Leiteiras em Crescimento a Pasto

Palma (Opuntia Ficus Indica Mill) cv. Gigante em Suplementos Para Fêmeas Leiteiras em Crescimento a Pasto

Discente: 
Gleidiana Amélia Pontes de Almeida
Orientador: 
José Maurício de Souza Campos

Objetivou-se avaliar o efeito da substituição do milho pela palma em suplementos para fêmeas leiteiras em crescimento a pasto nos níveis de 0, 33, 66 e 100% de substituição. A mistura ureia/sulfato de amônio (9:1) (ureia) foi utilizada para ajustar o teor de proteína bruta dos suplementos em razão das diferenças nos teores de proteína bruta entre o milho e a palma, sendo que a variação no teor de ureia entre os suplementos foi de no máximo 20 g/kg. Foram avaliados o consumo e digestibilidade aparente dos nutrientes, o desempenho dos animais, ingestão de compostos nitrogenados, balanço de nitrogênio, síntese e eficiência microbiana e a bioeconomicidade do sistema. O trabalho foi realizado na Fazenda Roçadinho, município de Capoeiras, situada na região Agreste de Pernambuco no período de 30/09/2012 a 19/01/2013, correspondente na região a período seco, em delineamento inteiramente casualizado com quatro tratamentos e seis repetições, utilizando-se 24 fêmeas leiteiras em crescimento com peso inicial de 180 quilos. O experimento constou de 28 dias de adaptação às dietas e três períodos experimentais de 28 dias cada, para a coleta de dados e avaliação do desempenho dos animais. O consumo de matéria seca (MS), matéria seca do pasto, matéria orgânica (MO), proteína bruta (PB), fibra em detergente neutro corrigida para cinzas e proteína (FDNcp) não diferiram com os níveis de substituição do milho pela palma. O consumo de fibra em detergente neutro indigestível (FDNi) e fibra em detergente ácido (FDA) aumentou linearmente, já o de carboidrato não-fibroso corrigido para cinzas e proteínas (CNFcp), extrato etéreo (EE), e nutrientes digestíveis totais (NDT) decresceram linearmente (P<0,05). Os níveis de N-ureico no plasma (NUP) não variaram com a substituição. Os coeficientes de digestibilidade aparente da MS, MO, FDNcp, FDA, CNFcp, EE e os NDT apresentaram um decréscimo linear e os de PB aumentaram (P<0,05), com a substituição do milho pela palma. Os ganhos de peso final, total, médio diário e peso metabólico observados decresceram linearmente, já a conversão alimentar aumentou (P<0,05). Não foi observado efeito na ingestão de N e no N excretado na urina. Por outro lado houve redução no nitrogênio excretado nas fezes, no balanço de nitrogênio e na porcentagem de nitrogênio ingerido, já o N-ureico excretado na urina aumentou (P<0,05). A substituição do milho pela palma reduz o desempenho de fêmeas leiteiras em crescimento a pasto, assim a substituição total ou parcial fica condicionada à projeção da idade ao primeiro parto no sistema de produção e à economicidade de uso.